sábado, 11 de março de 2017

Verão Em Pleno Inverno

Acho que pior do que a memória de coisas que aconteceram é a memória do que nunca aconteceu. A memória de tudo que poderia ter acontecido, que aquece o seu coração e logo em seguida o dilacera com a ajuda do choque da realidade. E a realidade é dura e fria, como o chão da sua cozinha, no qual sentei naquela madrugada, soluçando de chorar, no momento em que ultrapassei todos os meus limites. Amar é ter paciência e isso é o que eu mais tive. Amei com todas as minhas forças e fiz o que pude, inclusive o que não podia e o que não devia. Uma pena você nem ter tentado. Você nunca me amou mas soube esconder isso muito bem. Eu nunca tinha certeza. A única certeza que eu tinha é de que eu queria você. Ah, como eu queria! E eu amava quando você dizia que queria ficar comigo pelo resto da vida. A gente podia ter tido tudo. Visto tudo. Feito tudo. Eu abraçava você até cada pedacinho dos nossos corpos estarem grudados um no outro. Parecia que sempre podíamos estar mais perto. As suas mãos estavam sempre quentes e as minhas, geladas. Com você era como se fosse verão em pleno inverno. Era possível ver cores que eu nem sabia que existiam. Elas estavam por todo o canto. Às vezes o cinza se destacava. Eu perguntava com frequência o que você estava pensando mas no fundo eu não queria era saber de nada. Eu preferia segurar o seu rosto e enche-lo de beijos. Encostar a minha bochecha na sua e deslizar os meus dedos pelas suas costas. Acordar pela manhã e me encontrar nos seus braços. Cair no sono em você enquanto chovia lá fora. Decorar os traços do seu rosto enquanto você dormia. Sabe, às vezes é muito difícil aceitar as coisas como elas são e eu procuro você em cada pessoa nova que eu conheço. Eu sei que nunca vou encontrar mas quem sabe alguma semelhança não me faça sentir em casa novamente? Chega uma hora que estar na estrada cansa, meu bem. A saudade bate. A gente se perde. Eu me perdi em você e até hoje não consegui me encontrar. Ainda sonho com você mas juro que não queria sonhar. Acordo sentindo as suas mãos em mim mas quando vejo, você não está lá. Diferente dos dias em que eu sonhava tragédias e você dizia que havia sido só um pesadelo. Acho que você sempre soube que os meus pesadelos se tornariam realidade e eu vou te dizer que pior do que me perder, foi perder você.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Sábados Ensolarados

Quando eu botei os meus olhos em você pela primeira vez eu não senti nada. Quando nos beijamos, meu coração não bateu mais forte e eu não desejei você em momento algum. Por isso eu me pergunto até hoje por que eu quis vê-lo novamente, e novamente, e novamente... Algo em mim sempre me levava a você de várias formas possíveis. Quando vi já estávamos acordando juntos todos os dias e eu o enxergava como um deus. De repente o meu coração começou a bater forte quando nos beijávamos e eu desejava você todas as horas do dia. Acho que pulei alguma parte pois se me perguntarem por que eu me apaixonei perdidamente por você, eu não vou saber responder direito. Talvez tenha sido por causa dos seus olhos verdes ou a forma que você sorri e gesticula enquanto conta algo que você acha demasiadamente empolgante. Ou nos momentos em que você segurava a minha mão até quando eu menos esperava, como na fila do supermercado ou enquanto íamos de um cômodo para o outro. Você segurava tão firme que eu cheguei a acreditar que você realmente tivesse medo de me perder não só nessa vida, como nas próximas. Talvez também tenha sido pelo jeito que você se aconchegava em mim durante a noite, meio dormindo, meio acordado, até eu não conseguir mais imaginar nenhum outro lugar no mundo melhor do que entre seus braços. Ou como você me abraçava por trás e beijava a minha nuca enquanto eu lavava a louça. Ou até mesmo quando você deitava no meu colo abraçando as minhas pernas e dizia ser o seu lugar favorito. Às vezes eu estava distraída e sentia os seus olhos em mim. Sempre quis saber o que você estava pensando nesses momentos mas quando eu senti que o fim estava próximo, eu já não tinha mais tanta curiosidade assim. Me dava uma agonia na barriga imaginar o que você poderia estar pensando. Eu só sentia e pensava em coisas ruins. Diferente daqueles dias em que eu conseguia sentir o seu amor nos seus olhares, no seu toque e nas suas palavras. De repente você começou a evitar cruzar o seu olhar com o meu, o seu toque já não era mais firme e as suas palavras deixaram de ser convincentes. Quando você dizia "eu te amo", doía em mim porque parecia doer em você. Parecia que você precisava de muito, muito esforço pra dizer isso. Eu sentia o meu coração se despedaçando a cada dia que passava. Os meus ossos pareciam bem mais pesados. Chorar até soluçar passou a ser comum. Eu não conseguia comer. Eu não conseguia dormir. Percebi que eu devia sim ir embora mas não conseguia faze-lo até ouvir você dizer que não me amava mais. Acabei chegando a conclusão de que você sempre foi como uma droga pra mim. A mais forte que já usei. Com você, eu tive sensações maravilhosas e por isso me viciei. Até que as "bad trips" começaram a acontecer com uma frequência absurda e a abstinência de você foi a pior de todas que eu já senti. Quando eu não estava na cama, eu estava no chão (eu juro que podia sentir o chão caindo sobre a minha cabeça). Tudo era intenso ao extremo com você. O amor que eu sentia me fazia querer viver mas também me fazia querer morrer. Toda aquela angústia me deixava doente. Na época em que eu conseguia sentir o seu amor, eu juro que fui a mulher mais feliz do mundo. Eu achava que iríamos ficar juntos para sempre. O que eu não sabia é que "para sempre" é muito tempo e o tempo muda tudo. Às vezes - bem às vezes - eu tenho vontade de reviver alguma bela lembrança nossa porque eu nunca quis algo na minha vida mais do que eu quis você. Poderia ser algum daqueles sábados ensolarados em que não desgrudávamos um do outro e os nossos sentimentos permaneceriam intactos. Moraríamos nessa lembrança e nada mudaria. Teríamos a vida que queríamos. Teríamos, se isso fosse possível. Devo dizer que esses últimos meses tem sido um longo domingo chuvoso e eu sinto essa tal da melancolia em todas as partes do meu corpo. É certo que dias ensolarados virão mas sei que nunca mais verei as cores que eu via em tudo quanto é lugar quando você estava lá comigo. Agora elas estão dentro de mim e jamais se desvanecerão.

terça-feira, 17 de março de 2015

Sobre Querer Que Nós Dois Nos Tornemos Um Só

Não importa se os nossos corpos estiverem grudados um no outro; eu sempre vou querer estar mais perto.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

O Fim

Eu não entendo como eu consegui te fazer chorar tantas vezes em tão pouco tempo. Fiquei impaciente quando senti as suas lágrimas caírem no meu rosto enquanto eu te abraçava sem a menor vontade. O silêncio era tanto que era possível ouvi-lo. Eu não te amava. Eu não conseguia sentir pena. Eu não conseguia sentir nada. 
No seu último dia aqui, eu estava com tanto sono que parecia um sonho. Deitada de bruços, pude sentir o toque das suas mãos por todo o meu corpo, tirando a minha roupa. Você foi tão delicado comigo que parecia estar tudo em câmera lenta. Disse que me amava uma, duas, três, quatro, cinco... Eu perdi a conta. Por alguma razão, lembrei da primeira vez que você havia caído no sono ao meu lado e eu não conseguia parar de olhar para o seu rosto. Eu senti paz e o meu coração se aqueceu. Naquele momento, eu estava sonhando acordada com você e você estava sonhando acordado comigo. Não havia mais ninguém, era tudo nosso. Você me pegou nos seus braços como um bebê e me vestiu. Eu tive vontade de te abraçar. Que sensação esquisita. Você iria embora em duas horas e de repente eu quis que o tempo parasse. Até hoje eu não sei o que aconteceu exatamente durante aqueles minutos mas sei que depois daquela noite, nada foi o mesmo e, desde então, tenho estado presa naquele sonho que você criou para nós dois.

No meu último dia aí, você estava com muito sono. Parecia concentrado no que passava na TV e eu não conseguia tirar as minhas mãos de você. Beijei o seu rosto todo e mesmo assim você não olhou para mim. Eu disse que te amava muito e você disse que também me amava mas, mesmo assim, não desviou os seus olhos da maldita televisão. Enquanto eu te tocava, as suas mãos permaneciam longe. Por alguma razão, lembrei da segunda vez que eu o vi e eu sentia os seus olhos em mim o tempo todo. A sua mãe dizia que nunca tinha o visto tão feliz. Que contraste. Até hoje eu não sei o que aconteceu exatamente mas sei que depois daquela noite, nada foi o mesmo e, desde então, o sonho para dois tornou-se um pesadelo para um. 
Eu não entendo como você conseguiu me fazer chorar tantas vezes em tão pouco tempo. Ficou impaciente quando sentiu as minhas lágrimas caírem no seu rosto enquanto me abraçava sem a menor vontade. O silêncio era tanto que era possível ouvi-lo. Você não me amava. Você não conseguia sentir pena. Você não conseguia sentir nada.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Crocodilos

Aposto que o seu coração bateu mais forte quando me viu novamente
Aposto que você esqueceu como respirar por alguns segundos
Aposto que surgiram borboletas no seu estômago 
Ou crocodilos, rastejando pelas suas entranhas
Aposto que doeu
Mas você finge ser mais forte do que realmente é
Meu querido, ninguém é capaz de fingir algo por tanto tempo
Um dia você vai quebrar

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Coisas Boas Só Acontecem No Verão

Não o esqueci mas me acostumei com esse negócio de viver sem ter você, embora ainda seja difícil. Digo, não há saída. É como se eu estivesse em um cárcere privado que você construiu com suas próprias mãos e me convenceu a entrar através das suas doces palavras. Você foi embora e me deixou aqui sozinha. Agora cada centímetro da minha pele está queimando e eu juro que estou apodrecendo por dentro. Coisas boas só acontecem no verão, mesmo. Quando eu penso nos primeiros raios de sol que invadiram a sacada do quarto em que estávamos, eu sinto paz. Uma paz que tira a minha paz. O tipo de paz que eu não deveria sentir, assim como o toque das suas mãos, o cheiro das suas roupas. Há tudo, mas não há você (exceto nos meus sonhos). Gostaria de ser a razão dos seus sorrisos novamente. Mas não, as coisas não são mais assim. O verão acabou faz tempo. Agora é inverno. Meus lábios estão roxos e os meus olhos, vermelhos. Tento chorar mas as lágrimas não parecem vir. Queria que tudo fosse azul novamente. Azul, verde, amarelo... Mas tenho que me contentar com o cinza dessa estação. O meu caminho é para o outro lado. Eu juro que levarei os seus olhos castanhos comigo e você... Bom, você leva o meu coração desde o primeiro dia em que o conheci.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Pequena Meretriz

A estrada foi longa e o meu coração nunca bateu tão forte
Nunca havia me sentido tão só
Você me pegou nos seus braços e eu me apaixonei pelos seus olhos azuis imediatamente
Todas as suas meninas...
Eu me apaixonei por todo mundo!
Não consigo parar de chorar, queria morrer
Por favor, não me deixe agora
Aumente o volume
Estou bêbada, vejo estrelas
Vamos dançar todo mundo junto mais uma vez
Por que não podemos nos tornar um só?
É tudo o que eu penso
Digo, só hoje à noite, esqueça de mim amanhã
Quando o sol se pôr, lembre-se de mim novamente
Você deve ter me visto caminhando com os meus óculos de coração perto da piscina
Balançando os meus cabelos dourados 
Eu quis chamar a sua atenção mas não queria que você me tocasse
Quando você me toca, eu queimo
Tenha cuidado comigo
Posso sentir nos meus ossos
A minha boca está seca e o meu coração ferido
Mas eu juro: é tudo por você
Eu sonho com o seu sorriso
Ignoro suas mentiras assim como você ignora as minhas
Se você me chamar, eu vou, eu vou
Faço o que você quiser
Sou sua pequena meretriz
E você é tudo o que eu sempre quis.